Programa de Controle do Tabagismo
O Programa Municipal de Controle do Tabagismo faz parte do Programa Nacional de Controle do Tabagismo elaborado e normatizado pelo INCA - Instituto Nacional do Câncer, junto ao Ministério da Saúde/MS. Visa reduzir o hábito de fumar e suas consequências: as doenças crônicas e as mortes relacionadas ao fumo, no Brasil.

O Programa Municipal promove ações de prevenção à iniciação ao tabagismo por meio de campanhas e ações de orientação e educação em saúde, que estimulam a busca de estilo de vida saudável. Também prevê a abordagem da pessoa fumante, em unidades de saúde, através de informações e orientações para quem quer parar de fumar, e a Abordagem Intensiva/Tratamento em grupo. Conforme Diretrizes e Normativas do MS/INCA.

Endereço da coodenação:
Rua Isidoro Pedri, 120 - Bairro: Barra do Rio Molha - CEP 89259-590
Telefone: (47) 2106-8430
E-mail: tabagismo.coordenacao@jaraguadosul.sc.gov.br
Horário de atendimento: segunda a sexta-feira, das 8 às 16h30
 
Equipe das Unidades de Saúde que podem conduzir o tratamento:
Médico
Enfermeira
Dentista
 

O QUE É TABAGISMO?
É o ato de consumir cigarros ou outros produtos que contém tabaco, cuja droga ou princípio ativo é a nicotina. (exemplo: cigarro, narguilé, cigarro eletrônico, cachimbo, charuto, entre outros).
 

CAUSA PRINCIPAL DA INICIAÇÃO AO TABAGISMO
Dentre elas, a maior causa da iniciação ao fumo, é a influência de grupo ao qual a pessoa pertença ou queira pertencer: de amigos, de família, de escola, de trabalho, entre outros. A maioria das pessoas que fumam iniciaram esse hábito antes dos 19 anos.


ALGUMAS DAS CONSEQUÊNCIAS
Fumar cigarro pode provocar: câncer, doença cardiovascular, doenças pulmonares, úlcera péptica e outras patologias. Esse hábito é considerado a mais importante causa de morbidade e mortalidade prematura no mundo. É responsável por cerca de 90% de câncer de pulmão em homens e 70% de câncer de pulmão em mulheres. Entre outros fatores de risco do tabagismo, estão 56-80% para doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e 22% para doenças cardiovasculares. O tabaco também é uma das principais causas de câncer de orofaringe, bexiga, pâncreas, laringe, esôfago, cólon e colo do útero. (WORLD HEALTH ORGANIZATION, 2002). (Tabagismo/Abordagem/Prevenção e Tratamento. Nunes, S.O.V. e Castro, M.R.P./2011-EDUEL)

O ar poluído com a fumaça do cigarro contém em média três vezes mais nicotina e monóxido de carbono, e até cinquenta vezes mais substâncias cancerígenas do que a fumaça tragada pelo fumante.

O fumante passivo (quem está próximo a uma pessoa que fuma) tem 30% de risco de câncer de pulmão e 24% maior de infarto do coração do que os não fumantes. As crianças que convivem com pais fumantes, tem resfriados e infecção do ouvido médio com maior frequência, maior risco de doenças respiratórias, dentre outros agravos a saúde, ao seu desenvolvimento. (Tabagismo/Abordagem/Prevenção e Tratamento.Nunes, S.O.V. e Castro, M.R.P./2011-EDUEL).

Fumar cigarros de baixos teores de nicotina, narguilé, cigarros eletrônicos, dentre outros, fazem tanto mal à saúde quanto os cigarros comuns.


COMO FAÇO PARA PARAR DE FUMAR?
Primeiro, precisa haver o desejo real de parar, depois, tomar a atitude e principalmente, modificar alguns hábitos da vida cotidiana, buscando assim um estilo de vida mais saudável, incluindo ou reforçando algumas ações, exemplo:
 
- Prática de atividades para relaxamento, atividade física em geral, conforme a afinidade e disponibilidade de cada um, atividades de lazer e sociais, evitar por um tempo, grupos que estimulam o hábito de fumar, alimentar-se de maneira mais saudável, ingerir água, (média de dois litros/dia), dentre outras.
 
Obs.: Reconhecer os disparadores ou reforçadores da vontade de fumar, como por exemplo o cafezinho, ou situações que geram ansiedade, é fundamental. Após o reconhecimento, buscar estratégias para evitar ou enfrentar esses fatores.

 
EXISTEM DUAS FORMAS DE PARAR DE FUMAR
 
1. Parada Imediata. A pessoa decide parar de fumar de uma só vez, escolhendo uma data, e nesse dia, deixa de fumar.
 
2. Parada Gradual. Duas maneiras:
 
a) - Reduzindo o número de cigarros. Contar o número de cigarros fumados por dia e passar a fumar um número menor a cada dia, até parar totalmente. Ou Fumar cigarros de baixos teores de nicotina, narguilé, cigarros eletrônicos, dentre outros, fazem tanto mal à saúde quanto os cigarros comuns, ou;
 
b) - Adiando a hora em que começa a fumar o primeiro cigarro do dia. Vai sendo adiado o primeiro cigarro por um número de horas predeterminado a cada dia, até chegar o dia de não fumar nenhum cigarro.
 
Se a pessoa escolher a parada gradual, não deverá gastar mais que duas semanas nesse processo.


EVITAR O PRIMEIRO CIGARRO
Alguns ex-fumantes acabam voltando a fumar por estarem se sentindo tão bem que acreditam que podem fumar apenas um cigarro ou só acender o cigarro do amigo, mesmo uma só tragada pode levar você à recaída. Portanto, todo o cuidado é pouco!



RECOMPENSAR O PRÓPRIO ESFORÇO
Sugestão: No final de cada semana, após a parada de fumar, contar o dinheiro que teria sido gasto com cigarro e guardar. Ao final de cada mês contar o dinheiro economizado, e comprar um presente para si próprio, ou continuar economizando para conquistar um sonho maior, mais adiante.

OBS.: se em algum momento a pessoa fumar novamente, não deve ser considerado um fracasso. É fundamental reiniciar o processo e procurar ficar mais atento ao fator que provocou o uso do tabaco novamente. Isso é parte do processo de cada um.

O mais importante é não usar a recaída como desculpa para continuar a fumar.

Para quem deseja parar de fumar, poderá procurar uma unidade de saúde para obter mais informações e orientações a respeito.


ABORDAGEM OU TRATAMENTO INTENSIVO
Algumas unidades de saúde também oferecem o tratamento intensivo, que consiste em quatro sessões, (uma vez/semana), em seguida, encontros quinzenais e mensais.

Os objetivos principais são: estimular a percepção de fatores e situações que desencadeiam a vontade de fumar, e o aprendizado de estratégias para o controle da ansiedade e de outros sintomas gerados pela abstinência do cigarro. Buscando então a mudança de pensamentos, hábitos, e comportamentos relacionados ao ato de fumar.

É necessário para esta abordagem, que os profissionais que a conduzam, estejam capacitados em metodologia específica, conforme preconizado pelo Instituto Nacional do Câncer -INCA/Ministério da Saúde-MS, número de pacientes em lista de espera suficientes para formar um grupo, conforme a capacidade da unidade, e seguir diretrizes do INCA/MS.

O Ministério da Saúde está reordenando esse tratamento nos municípios que aderiram ao Programa Nacional de Controle do Tabagismo. Portanto, ele está sendo retomado em nosso município gradativamente.




 
Município de Jaraguá do Sul - SC - CNPJ: 83.102.459/0001-23 - Rua Walter Marquardt, 1111 - Barra do Rio Molha - 89259-565 - Caixa Postal 421 - Fone: (047) 2106-8000